A descontratação de térmicas cujos contratos estão próximos de terminarem é uma opção que será analisada para reduzir a sobrecontratação das distribuidoras nos próximos anos. Esse seria uma alternativa para diminuir os impactos da redução do consumo de energia decorrente da desaceleração da economia.

Nossa matriz mudou e continuará mudando. No momento que deixamos de contar com as térmicas é necessário avaliar o risco de contratar outra para o lugar, e não necessariamente podemos substituir integralmente essa fonte, pois o sistema necessitará da flexibilidade típica das térmicas. Há cuidados a serem tomados em relação à previsibilidade e competitividade da matriz, então o planejamento é importante.

Essa deve ser uma ação de médio prazo, além dos outros mecanismos já existentes, como o MCSD, o MVE e as negociações bilaterais. A retração da demanda pode exigir medidas adicionais e, nesse caso, a não recontratação das térmicas poderá ser considerado.

logo-replace