A Receita Anual Permitida das concessionárias de transmissão vai saltar de R$ 27,63 bilhões para R$ 34,99 bilhões nos próximos 12 meses, aumento de 26,56%, com a inclusão de valores que estavam suspensos judicialmente e a entrada de novos empreendimentos.  RAP homologada pela Agência Nacional de Energia Elétrica nesta terça-feira (14) representa aumento de 26,6% na tarifa de transmissão, mas o impacto médio esperado para o consumidor é de 3,9%, segundo a Aneel.

O crescimento de R$ 7,35 bilhões na receita reflete o resultado de revisões tarifárias aprovadas esse ano para 76 contratos de transmissão, incluindo processos retroativos a 2018 e 2019 e também os de 2020. Ele inclui ainda a receita adicional de novas instalações de transmissão e o reajuste anual do ciclo tarifário 2020/2021, que começa agora em julho e termina em junho do ano que vem.

Com suspensão da decisão judicial, o valor relativo ao custo de capital próprio dessas instalações foi incorporado como componente financeiro na Parcela de Ajuste das transmissoras. Somente o processo de 2018 resultou em um acréscimo de R$ 6,3 bilhões na receita anual, que serão pagos pelo consumidor em três parcelas até a próxima revisão da RAP em 2023.

logo-replace