O governo do estado de São Paulo deverá abrir uma chamada pública de 80 MW para a construção de usina solar flutuante no espelho d’água da represa Billings. A fonte solar tem proporcionado um grande nicho de oportunidades no estado, de fábricas até programas de moradia da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano. Para o Governo, os benefícios são a geração de energia e a preservação de lagos e reservatórios.

Desde fevereiro, a primeira usina de 100 kW instalada em parceria com a Emae na represa Billings está em operação e, segundo o secretário, com bons resultados, o que acabou motivando essa nova chamada pública para mais um projeto. O investimento nesse piloto ficou em R$ 450 mil em equipamentos, ocupando uma área de mil metros quadrados do reservatório junto à usina elevatória de Pedreira. A Sunlution é a outra empresa parceira no projeto.

O secretário também chamou atenção para o uso do biogás de biomassa no estado. Grande produtor sucroalcooleiro, o setor também produz a vinhaça, um subproduto do processo, que pode gerar biogás e bioenergia. A Raizen já tem em operação uma usina em Guariba de 21 MW vendida em leilão, que é pioneira e que atesta a viabilidade dessa fonte.

Em Narandiba, a Cocal produz biogás de gás metano, que vai sair da cidade e abastecer as cidades de Presidente Prudente e Pirapozinho. Penido citou ainda a parceria com a montadora de  caminhões Scania para produção de caminhões movidos a biogás e os projetos da Sabesp, que tem seus carros em Franca abastecidos com biogás da estação de tratamento de esgoto da cidade.

logo-replace