A energia solar liderou a expansão da matriz elétrica mundial em 2019 ao adicionar 118 GW em potência instalada no mundo, segundo levantamento da consultoria BloombergNEF (BNEF).

No ano passado, a energia solar respondeu por 45% da expansão da matriz de geração de energia elétrica no mundo, enquanto as fontes fósseis, 25%.  Em vários países, como Austrália, Itália, Uruguai e EUA as fotovoltaicas lideraram a expansão da matriz.

No mundo, a energia solar contava com cerca de 651 GW de capacidade instalada ao final de 2019, ultrapassando as usinas eólicas (644 GW). As usinas a carvão ainda lideram o ranking por fonte energética (2.089GW), seguida por usinas a gás natural (1.812 GW) e hidrelétricas (1.160 GW).

No entanto, ao analisar a produção de energia, a contribuição da tecnologia fotovoltaica ainda é menor. Em 2019, a energia solar foi responsável por 2,7% da eletricidade gerada no mundo todo. Embora o mundo tenha mais usinas a carvão em operação do que há uma década, essas usinas estão operando com menor frequência. A taxa média de utilização nas usinas de energia a carvão caiu de 57% em 2010 para 50% em 2019. Ainda assim, a energia produzida a partir de carvão em 2019 foi mais de 17% superior aos níveis produzidos em 2010.

Os países mais ricos estão retirando de operação usinas a carvão mais antigas e menos ineficientes, porque estas não conseguem competir com novos projetos a gás ou de energias renováveis. No entanto, em países menos desenvolvidos, particularmente no sul e sudeste da Ásia, novas usinas a carvão mais eficientes continuam a entrar em operação.

logo-replace