A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou o funcionamento do Balcão Brasileiro de Comercialização de Energia (BBCE) como administrador de mercado de valores mobiliários. O primeiro produto financeiro a ser ofertado será o contrato de derivativo de energia elétrica, previsto para ser negociado a partir de agosto deste ano.

Havia expectativa de que a autorização saísse em março. A CVM estabeleceu condicionantes, como a criação de uma área de Supervisão e Monitoramento de Mercado, elaboração de um novo estatuto e a eleição de três conselheiros independentes, que foram inteiramente cumpridos.

Em julho, a BBCE pretende abrir a plataforma para que os agentes conheçam o sistema. A empresa também promoverá eventos educacionais para tirar dúvidas sobre os derivativos de energia, tributação, funcionamento da plataforma e explicar a estrutura e o funcionamento do comitê de supervisão.

Os derivativos são contratos financeiros que derivam de um ativo (índice, preço, câmbio, ouro, entre outros). A operação é bem conhecida do mercado financeiro e permite que as empresas reduzam riscos de exposição a preços. Poderão negociar derivativos na BBCE empresas, agentes do mercado livre, bancos e fundo de investimento.

Outros derivativos virão à medida que consolidar o mercado de energia elétrica, inclusive de outras commodities. Estão em estudos a criação de produtos atrelados a certificados de biocombustíveis (Cbios), energia renovável (RECs), bagaço de cana de açúcar e eventualmente até gás natural.

logo-replace